6 dicas para aplicar a inteligência emocional no trabalho

6 dicas para aplicar a inteligência emocional no trabalho


Saber lidar com as emoções pode transformar sua eficiência e colaboração no ambiente profissional

A inteligência emocional desenvolve a empátia e a resiliência, duas características importantes no ambiente profissional A inteligência emocional desenvolve a empátia e a resiliência, duas características importantes no ambiente profissional Imagem: Vanz Studio | Shutterstock

A inteligência emocional é a capacidade de reconhecer, compreender e gerenciar nossas próprias emoções, bem como entender e influenciar as emoções dos outros. Pessoas com esse tipo de inteligência tendem a ser mais resilientes, empáticas e eficazes na comunicação, o que melhora significativamente suas interações sociais e profissionais.

Segundo Daniel Goleman, jornalista e psicólogo norte-americano, os cinco pilares da inteligência emocional são:

  • Conhecer as próprias emoções;
  • Controlar as emoções;
  • Automotivação;
  • Empatia;
  • Saber se relacionar interpessoalmente.

A seguir, descubra como utilizar esses pilares na rotina profissional:

1. Gestão do estresse

Reconheça os sinais de estresse em si e use técnicas de relaxamento, como respiração profunda ou pausas curtas, para manter a calma durante situações desafiadoras. Isso ajuda a tomar decisões mais racionais, a manter um desempenho consistente e a focar nas situações ao redor.

“A pessoa pode procurar entender o que está lhe causando mais estresse e buscar o controle sobre isso. Fazer psicoterapia regularmente também pode ser citado como um meio de tratamento, dado que o auxílio de um profissional ajuda a evitar maiores desgastes causados pelo estresse”, recomenda a psicóloga Carine Eleutério.

2. Resolução de conflitos

Aborde os conflitos com uma atitude empática, buscando entender as perspectivas de todos os envolvidos. Use a comunicação assertiva para expressar seus pontos de vista de maneira clara e respeitosa, facilitando a solução de desentendimentos de forma construtiva.

3. Feedback construtivo

Ofereça um feedback construtivo, focando em comportamentos específicos e suas consequências, e oferte sugestões de melhoria. Ao mesmo tempo, esteja aberto a receber feedback sem levar para o lado pessoal, vendo-o como uma oportunidade de crescimento.

Pessoas com alta motivação tendem a ser mais comprometidas com seus objetivos Imagem: FGC | Shutterstock

4. Motivação e autocontrole

Mantenha a motivação mesmo diante de desafios, estabelecendo metas claras e lembrando-se dos objetivos a longo prazo. “Pessoas com alta motivação tendem a ser mais comprometidas com seus objetivos e tendem a serem motivadas por estes”, explica Gisele Hedler, especialista em desenvolvimento humano e pessoal. Além disso, pratique o autocontrole para não reagir impulsivamente em situações de pressão, preservando um comportamento profissional e produtivo.

5. Empatia com colegas

Demonstre empatia ao ouvir atentamente os colegas, validando seus sentimentos e mostrando compreensão. Isso fortalece os relacionamentos, melhora a colaboração e cria um ambiente de trabalho mais solidário.

“Esta [a empatia] tornou-se uma qualidade essencial para os líderes em 2024, especialmente em um contexto em que as crises, o aumento do custo de vida e a inflação estão afetando diretamente a vida da população”, pontua Gisele Hedler.

6. Adaptação a mudanças

Encare as mudanças com uma atitude positiva e flexível, estando disposto a adaptar-se a novas circunstâncias e desafios. Além disso, utilize a inteligência emocional para gerir as próprias reações e ajudar a equipe a se ajustar às transformações de forma harmoniosa.

“Profissionais que podem se ajustar rapidamente a novas situações, tecnologias e demandas têm inegavelmente uma vantagem competitiva. A capacidade de abraçar a mudança e aprender com ela é fundamental atualmente, pois permite que as empresas enfrentem crises e desafios de forma mais ágil e resiliente”, analisa Samir Iásbeck, fundador da Qranio, plataforma LMS/LXP customizável de aprendizagem.





Fonte; Jovem Pan

Empreendedorismo