Alckmin e Dilma formalizam R$ 5,7 bilhões do Banco do Brics para o Rio Grande do Sul

Alckmin e Dilma formalizam R$ 5,7 bilhões do Banco do Brics para o Rio Grande do Sul


Em Pequim, o vice-presidente do Brasil e a presidente do Novo Banco de Desenvolvimento abordaram, ainda, temas como a transição verde, o crescimento econômico e as prioridades brasileiras na Presidência do G20

Divulgação/Secretaria de Comunicação SocialDilma e Alckmin
Geraldo Alckmin e Dilma Rousseff assinaram carta-compromisso de apoio à reconstrução do RS nesta terça (4) na China

O vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, reuniu-se nesta terça-feira (4) com Dilma Rousseff, presidente do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB), o Banco do Brics, em Pequim, durante missão oficial na China. Após o encontro, Alckmin e Dilma assinaram carta-compromisso de apoio ao Rio Grande do Sul. O texto formaliza a destinação de US$ 495 milhões do banco para a reconstrução do Estado (equivalente a R$ 2,6 bilhões). Além dos recursos do NDB, tomadores como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Banco do Brasil (BB) e Banco Regional do Extremo Sul (BRDE) vão disponibilizar outros US$ 620 milhões, totalizando US$ 1,115 bilhão, cerca de R$ 5,75 bilhões, em investimentos.

“Agradeço ao NDB, por meio da presidenta Dilma, por todo apoio que vem oferecendo ao povo gaúcho diante desta catástrofe sem precedentes”, afirmou Alckmin. “Tenho convicção de que a reconstrução do estado será maior que a destruição”, disse. De acordo com a carta-compromisso, os recursos de US$ 495 milhões serão distribuídos da seguinte forma: US$ 200 milhões para infraestrutura, incluindo investimentos em rodovias, pontes, vias urbanas e outras instalações. Os outros US$ 295 milhões serão canalizados pelo BRDE e destinados às necessidades do Rio Grande do Sul. Já os US$ 620 milhões alocados exclusivamente para o estado serão concedidos por BNDES, BB e BRDE.

cta_logo_jp

Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

A presidente do NDB destacou que o mandato do banco é focado em desenvolvimento sustentável e que, diante da catástrofe ambiental no Rio Grande do Sul, o “NDB decidiu ter uma presença forte, dentro de suas possibilidades, no Estado”. Dilma enfatizou o caráter flexível do banco na concessão de crédito, uma vez que nesse momento seria difícil determinar completamente os critérios de reconstrução. Ela garantiu que o banco tem mecanismos para monitorar a alocação de recursos, mas que não fará imposições sobre como devem ser utilizados. “Neste momento, é complicado prever inteiramente os critérios para a reconstrução do Estado”, destacou.

Apoio ao G20 e transição verde

Alckmin e Dilma abordaram, ainda, temas como a transição verde, o crescimento econômico e as prioridades brasileiras na Presidência do G20. O vice-presidente destacou a necessidade de o Brasil seguir avançando na transição verde e de fortalecer a indústria brasileira, por meio da diversificação da base produtiva, tarefa para a qual o NDB pode contribuir significativamente. Ele afirmou ainda o desejo do governo brasileiro de seguir aprofundando as relações com o banco multilateral, de modo a garantir apoio à agenda brasileira no G20, especialmente quando se trata da Aliança Global contra a Fome e a Pobreza.

Publicado por Carolina Ferreira

*Reportagem produzida com auxílio de IA





Fonte: Jovem Pan

Política