Brasil tem dois aeroportos entre os dez melhores do mundo

Brasil tem dois aeroportos entre os dez melhores do mundo


Juscelino Kubitschek, em Brasília, ocupa a quinta posição no ranking anual da empresa AirHelp, enquanto o terminal de Belém está na nona colocação; Aeroporto de Hamad, em Doha, é o líder

Pedro França/Agência SenadoAeroporto Internacional de Brasília - Presidente Juscelino Kubitschek
Aeroporto Internacional de Brasília está na quinta posição em ranking

Dois aeroportos brasileiros estão entre os dez melhores do mundo, de acordo com um levantamento anual da empresa AirHelp. O Aeroporto Internacional de Brasília, Juscelino Kubitschek, ocupa a quinta posição, enquanto o Aeroporto Internacional de Belém, no Pará, está na nona colocação. O ranking é liderado pelo Aeroporto de Hamad, em Doha, no Qatar, seguido pelo Aeroporto da Cidade do Cabo, na África do Sul, e pelo Aeroporto Internacional do Japão. A AirHelp, fundada em Hong Kong e com sede na Alemanha, é especializada em direitos dos passageiros aéreos e elabora a lista com base nas opiniões e avaliações dos usuários. Nesta edição, foram avaliados 239 aeroportos por cerca de 17.500 passageiros em 64 países. O levantamento considerou dados de 1º de maio de 2023 até 30 de abril de 2024, analisando três categorias: pontualidade dos voos, qualidade dos serviços oferecidos e qualidade das lojas e restaurantes.

cta_logo_jp

Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

Além dos aeroportos de Brasília e Belém, outros dois aeroportos brasileiros figuram entre os 20 melhores do mundo. O Aeroporto Internacional de Recife, Guararapes, está na 14ª posição, e o Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, Confins, ocupa o 19º lugar. O ranking também destaca outros aeroportos brasileiros, como Salgado Filho, em Porto Alegre, Santos Dumont e Galeão, no Rio de Janeiro, Afonso Pena, em Curitiba, Congonhas e Guarulhos, em São Paulo, Viracopos, em Campinas, e Hercílio Luz, em Florianópolis.

*Com informações da repórter Soraya Lauand





Fonte: Jovem Pan

Brasil